JUNHO_Cloud Computing

Cloud computing: o futuro está na nuvem

17/01/2020 às 15:07

Nos últimos anos, nos acostumamos a ouvir a palavra “nuvem” associada ao mundo digital. O termo cloud computing (popularmente conhecido em português como nuvem) pode ser entendido como uma tecnologia que permite ao usuário o acesso a programas, arquivos e informações a partir de qualquer dispositivo conectado à internet (computadores, tablets e celulares) sem a necessidade de uma infraestrutura de servidores próprios. Com tanta facilidade e praticidade, é natural que nos perguntemos sobre o futuro da tecnologia e até onde ele pode nos levar.

 

Segundo Mark Hurd, CEO da Oracle, uma das principais multinacionais de tecnologia do mundo, as empresas poderiam economizar até US$ 300 bilhões ao ano caso utilizassem o serviço de cloud ao invés de infraestruturas próprias de TI. “Não há motivos para não estar na nuvem”, disse na ocasião o CEO. A tendência, segundo o Hurd irá resultar em um cenário em que, até 2025, 80% dos aplicativos de produção (principalmente os softwares utilizados por empresas) utilizarão a nuvem para hospedar os seus arquivos, já que não é necessário um espaço físico para instalação, além do alto nível de segurança estabelecido pelo cloud.

 

Uma tendência com relação ao futuro desses sistemas diz respeito à expansão da capacidade de armazenamento. Segundo um artigo publicado em novembro de 2018 pela International Data Corporation (IDC), empresa norte-americana focada no mercado de Tecnologia da Informação, a quantidade de dados utilizados no espaço virtual deverá aumentar em mais de cinco vezes o seu tamanho até 2025. Com o crescimento do cloud como estratégia de negócio, certamente a infraestrutura atual receberá mais atenção com relação aos investimentos necessários para proporcionar uma expansão adequada.

 

A Internet of Things (IoT) também deve ganhar mais espaço juntamente com a expansão do cloud. A IoT, termo que define a interação entre diversos bens de consumo através do compartilhamento de dados, tem um potencial comunicacional imenso a ser explorado caso essas informações estejam disponíveis em uma rede de maior alcance. “Outra tecnologia que pode surpreender e avançar ainda mais, junto à IoT é a Inteligência Artificial (AI, em inglês)”, observa Ricardo Montanher, diretor da Horizons Telecom.

 

Nesse cenário, os recursos de automação devem se desenvolver ainda mais, garante ele. “O futuro dessas tecnologias é a integração com o objetivo de facilitar os processos nas empresas. É quase impossível não colocar a AI como um dos pilares principais nessas situações, já que enormes bancos de dados poderão ser utilizados para cumprir funções essenciais nos negócios, contribuindo para o melhor atendimento ao cliente”, afirma.

 

Para Montanher, o futuro do cloud também influenciará na criação de novas funções para os profissionais de TI, ampliando as possibilidades de inovação. “O avanço da tecnologia irá proporcionar novas perspectivas para as pessoas que trabalham na área e mesmo para a nossa sociedade. Novas profissões devem ser criadas como supervisores das atividades de AI, arquitetos específicos de nuvens e profissionais para auxiliarem no desenvolvimento de cidades inteligentes. Além disso, essas transformações certamente irão auxiliar no aprimoramento de novos modelos de aprendizagem nas escolas, auxiliar em nos diagnósticos em hospitais, entre outros benefícios”, finaliza.